15 DICAS PARA VOCÊ AJUDAR O NOSSO PLANETA


1. Economize água

Não deixe a torneira aberta mais tempo que o necessário e conserte vazamentos rapidamente. Troque a descarga do vaso sanitário por um modelo de 6 litros . Outra alternativa é colocar, dentro da caixa de descarga, duas garrafas plásticas de refrigerante de 2 litros com areia dentro, a medida diminui em 4 litros o consumo de água a cada uso. As primeiras águas da máquina de lavar podem ser usadas para lavar calçadas. A água do último enxágue da máquina de lavar,também pode ser usada para regar as plantas - os resíduos de sabão funcionam como adubo.

2. Prefira produtos biodegradáveis

Vários produtos de limpeza e higiene contêm substâncias químicas tóxicas. Algumas demoram a se degradar no meio ambiente. Substitua produtos de limpeza à base de cloro por vinagre e bicarbonato de sódio ( para limpar pias e vasos sanitários). Xampus e detergentes para louça costumam conter fosfato, nutriente que provoca crescimento acelerado de algas em rios e lagos.As algas consomem o oxigênio da água e causam mortandade de peixes.

3. Procure alimentos orgânicos

O consumo de produtos orgânicos beneficia, em primeiro lugar , a saúde. Esses alimentos não têm antibióticos, pesticidas ou metais pesados, Os orgânicos promovem também também a melhoria ambiental, pois são produzidos sem o acréscimo de aditivos químicos ou pesticidas ao solo. Eles também respeitam as diferentes épocas de safra - ao contrário das monoculturas, cultivadas o ano inteiro à custa de agrotóxicos e prejuízo à biodiversidade. A dieta das sociedades modernas limita-se a cerca de cem espécies ( com predominância de trigo, arroz, milho e batata).Essa falta de diversidade incentiva a monocultura e o desmatamento.

4. Consuma menos carne

A pecuária bovina é a maior responsável pelo desmatamento no Brasil. Além disso, a produção de suínos e aves consome grande parte da produção de grãos, o que pressiona as florestas. A suinocultura também é responsável pela contaminação de rios, lagos e represas. Um porco produz dejetos equivalentes aos de oito seres humanos. Boa parte dos peixes e produtos marinhos é capturada por meio de técnicas predatórias, como o arrastão, e 30% do que vem na rede é jogado fora depois.

5. Não crie animais silvetres

Ter espécies nativa é , em primeiro lugar, crime previsto em lei. Contribui para a extinção daquela espécie na natureza. Antes de chegar às lojas e feiras, os animais silvestres quase sempre são maltratados. Segundo a Ong renctas, A rede Nacional Contra o Tráfico de animais Silvestres, 38 milhões de exemplares nativos são retirados da natureza por ano no brasil. Sò um em cada dez è vendido. Os outros morrem no caminho. Se a vontade de possuir um animal silvestre for incontrolável, procure um de origem legal, proveniente de criadouro comercial registrado no Ibama. Isso vale, inclusive, para peixes ornamentais. Quase tão grave quanto manter um animal silvestre é soltá-lo de volta à natureza sem o acompanhamento de especialistas. se não morrer, o animal pode interferir em uma cadeia alimentar estável, causando danos à biodiversidade.

6. Cultive áreas verdes

Cultive gramados e jardins mantendo pavimentado apenas o que for indispensável. A infiltração no solo verde faz a água chegar mais lentamente a rios, córregos e represas, e isso reduz as enchentes. A falta de áreas verdes é uma das maiores responsáveis pelas ilhas de calor nas cidades. Além de oferecer conforto térmico, a vegetação urbana valoriza os imóveis e atrai a fauna, sobretudo pássaros. As árvores nativas servem de alimentos e abrigo para os animais da região.

7. Diminua o uso de embalagens

Racionalize o uso de sacolas plásticas em lojas e supermercados. Não leve três sacolas se uma for suficiente. melhor ainda é ir às compras levando uma sacola de casa .

8. Leia os rótulos com atenção

Além de listar os ingredientes e a data de validade, o rótulo traz a procedência. quanto mais distante for o local de origem do produto, mais transporte, mais combustível e mais embalagens foram nescessários. Veja se ele tem certificação de qualidade, como do Inmetro. Produtos de origem florestal devem ter o selo do Ibama ou do Conselho de Manejo Florestal.Produtos agrícolas devem ser certificados pela Rede de Agricultura Sustentável ( RAS). Os rótulos devem avisar se o produto e a embalagem são recicláveis ou se já são reciclados.

9. Evite produtos descartáveis

Imagine a quantidade de plástico consumido por uma pessoa que toma dois cafés e dois copos de água por dia em copos descartáveis. Em um ano, são 1.460 copos. Mantenha uma caneca no escritório para o uso individual. Cada mulher usa, ao longo da vida, cerca 10 mil absorventes descartáveis. Apenas nos Estados Unidos são jogados fora 12 bilhões de absorventes e 7 bilhões de tampões por ano. Já existem no mercado opções recicláveis.

10. Economize energia

Prefira lâmpadas fluorescentes, além de consumir 75%menos energia, elas duram de seis a dez vezes mais que as incandescentes. Use melhor a luz do sol, abrindo as janelas, cortinas e persianas. Pinte as paredes internas com cores claras, que refletem a luz. o mais importante é manter o teto branco. Apague as Lâmpadas de ambientes desocupados. Desligue da tomada equipamentos elétricos que não estiverem em uso, como TV, aparelho de som, forno de microondas.

11. Recicle lixo

Cerca de 40% do lixo encaminhado para a reciclagem volta para os lixões e aterros urbanos. Em parte, isso ocorre poeque os resíduos não são reaproveitáveis por nenhuma indústria - e também voltam aos lixões. Por isso, é importante saber exatamente o que é reciclável. Anote o que é lixo comum ( não-reaproveitável): papéis sujos e sanitários, papel-carbono, papel de fax,plastificados, papéis mistos ( metalizados, plastificados, parafinados) , etiquetas adesivas, clipes e esponjas de aço, copos de café,sacos de salgadinho, embalagens de biscoito, isopor, filme fotográfico, misturas de plásticos com metal ( como as embalagens de queijo ralado ), espelhos,lâmpadas, vidros planos ( como vidros de janelas). O lixo orgânico( restos de comida) também devem ir para a coleta comum, a menos que haja local próximoonde seja feita a compostagem - transformação dos resíduos em adubo. O resto ( vidros, metais, papéis, e plásticos recicláveis) deve ser encaminhado para a coleta seletiva municipal ou para as cooperativas de catadores. Use papel reciclado ou certificado , disponíveis no mercado. Ao usar o computador, imprima somente o necessário, aproveitanto os dois lados das folhas.

12. Tenha cuidado com resíduos perigosos

Remédios vencidos devem ser encaminhados às farmácias, que são obrigadas a recebê-los. Oficinas mecânicas devem receber pneus velhos e baterias de carro . Baterias de telefone celular devem ser encaminhadasa postos de coleta ( informe-se nas lojas especializadas de telefonia). Para os aparelhos comuns, como câmaras e os brinquedos, prefira pilhas recarregáveis.

13. Evite transporte individual

Somente na região metropolitana de São Paulo, os automóveis são responsáveis por 88% do 1,5 milhão de toneladas de monóxido de carbono despejadas diariamente na atmosfera. Por isso , usar transporte coletivo ( sobretudo metrô e trem ) é uma importante opção em favor do meio ambiente. Avalie a possibilidade em fazer parte do trajeto em transporte coletivo ( deixando, por exemplo, o carro próximo a uma estação do metrô). Procure também fazer o transporte solidário , dando carona a um colega de trabalho ou na hora levar as crianças para escola. Além de não prejudicar o meio ambiente, essas são formas de ganhar tempo,econiomizar dinheiro e fazer amigos. Diminuir a quentidade de carros nas ruas também ajuda a melhorar o trânsito . Procure andar mais a pé ou de bicicleta

14. Compre carros eficientes

Ao comprar um automóvel,opte por um modelo bicombustível, que também possa rodar movido a álcool.O álcool é um combustível que não agrava o efeito estufa,pois o gás carbônico emitido pelo carro é compensado pelo que os canaviais tiram de atmosfera. Apesar disso, o álcool emite outras substâncias tóxicas, como monóxido de carbono,hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio, Por isso, o ideal é optar por um carro econômico, que gaste menos combústivel. regular o motor e respeitar as manutenções e revisões recomendadas pelos fabricantes são formas de diminuir as emissões de gás carbônico em 10%.

15. Exerça seus direitos

A solução para problemas ambientais quase sempre depende de políticas públicas, como transporte urbano,saneamento básico ou leis que obriguem fornecedores a dar um destino para produtos e embalagens. É importante se informar e participar de campanhas. ONGs especializadas e associações de bairro costumam ajudar nessas horas.

fonte:Revista Época, 439